Sócrates

Sócrates pergunta se existe alguma coisa na Bíblia que possa ser usado para ser ilibado

O juiz Joaquim Neto de Moura do Tribunal da Relação do Porto está a dar algumas esperanças aos acusados na Operação Marquês. O ex-primeiro-ministro José Sócrates, a quem são imputados 31 crimes, sente-se desonrado e traído e já deu instruções aos seus advogados para passar a Bíblia e o Código Penal de 1886 a pente fino para procurar atenuantes para os crimes de corrupção passiva de titular de cargo político, branqueamento de capitais, falsificação de documentos e fraude fiscal qualificada. Sócrates com preguiça para ler um livro chato com tantas páginas viu o filme A Paixão de Cristo e ficou um bocado desiludido.

“Tentem perceber o que quer dizer aquela coisa do “olho por olho e dente por dente” do Leviticus. Ainda tenho esperança que se der a outra face ao juiz Carlos Alexandre para ele me bater ainda posso obter um perdão. Pode ser que fique pena suspensa. Se tiver que pagar uma multa, é só telefonar à Teresa Veríssimo, a minha gestora de conta da Caixa Geral de Depósitos, e ela transfere-me o dinheiro”, revelou Sócrates.

Autor: João Henrique
Publicado no Inimigo Público

Seja o primeiro a comentar

Comentar

O seu endereço de email não será publicado.


*