Governo critica D. Dinis por ter plantado pinheiro em vez de carvalho

O Pinhal de Leiria ardeu quase por completo no domingo, mas o governo de António Costa não assumiu as responsabilidades e resolveu apontar o dedo a anteriores executivos. E não foi ao de Passos Coelho e a Assunção Cristas, Ministra da Agricultura, Mar, Ambiente e Ordenamento do Território. Para o executivo, o incêndio do passado domingo tem mão criminosa de dois monarcas do século XIII da Dinastia Afonsina.

“D. Afonso III começou e D. Dinis ampliou um dos maiores crimes contra a floresta da História de Portugal: a plantação intensiva de monocultura do pinheiro bravo. Estes reis do PSD plantaram uma árvore que arde com enorme facilidade e só pensaram no negócio. Onde estão as azinheiras, sobreiros e carvalhos para equilibrar a floresta? El Rei D. Dinis, demita-se imediatamente, seu mafioso da resina!”, acusou Costa.

Autor: João Henrique
Publicado no Inimigo Público

Seja o primeiro a comentar

Comentar

O seu endereço de email não será publicado.


*