Acordo de ParisTrump

É mais fácil sair do Acordo de Paris que de um contrato de fidelização com a NOS, MEO, Vodafone ou um ginásio

O mundo agora está assim. Donald Trump decidiu rescindir com o Acordo de Paris, um compromisso histórico que foi negociado por 195 países para conter o aquecimento global do planeta e reduzir as emissões de gases com efeito de estufa, com mais facilidade que se tivesse um contrato com um operador português. Se queremos salvar o planeta, é colocar aquelas senhoras chatas que perguntam se a chamada pode ser gravada para efeitos de qualidade a falar com o Trump.

“Senhor Donald, não pode sair assim do Acordo de Paris. Os EUA ainda têm contrato de fidelização nos próximos 14 meses, pois o senhor Obama fez um novo pacote antes de sair da Presidência. Estive a verificar os seus consumos e podemos alterar o tarifário e aumentar o seu plafond de poluição. Paga apenas mais 5 dólares de mensalidade nos próximos 24 meses e ainda recebe um Samsung Galaxy S8 e 100 gigas de tráfego móvel por mês. Esta oferta tem uma fidelização de 1200 meses. Podemos avançar?”.

O Trump ia aceitar porque a menina tem uma voz sexy e ele acha que tem chances de comê-la. Era a única forma de safar este lindo planeta azul pelo menos até acabar a fidelização do Trump.

Seja o primeiro a comentar

Comentar

O seu endereço de email não será publicado.


*